Vida Cristã

20/09/2018 | Devocionais para jovens


DEVOCIONAL – Pare de tentar apressar Deus

As vezes almejamos tanto algo, mas tanto, que acabamos fazendo inúmeras promessas a Deus, tentamos de quase tudo ou literalmente tudo para provar a Ele que somos capazes e merecedores de receber aquela bênção, mesmo sabendo que não somos, nunca fomos e nunca seremos merecedores de nada, absolutamente nada, pois tudo o que temos é pela graça Deus, seu favor imerecido a nós pecadores (2 Coríntios 9:8; Efésios 4:7). Porém, mesmo que isso  nem sempre seja o certo a se fazer, pois existem situações de que Deus quer ver de fato que tenhamos alguma ação, reação ou atitude antes de recebermos a bênção e vivenciarmos as promessas que Ele mesmo nos prometeu, muitos mesmo recebendo aquilo que tanto clamaram e almejaram, acabam não cumprindo o que haviam prometido a Deus, pois diferente de nós Deus cumpre de fato o que Ele prometeu (Números 23: 19).

Por isso chamamos situações como essa de negociação ou barganha com Deus, pois é a mesma coisa de estarmos fazendo um trato com o Senhor: “Se o Senhor me der isso ou fizer isso, eu farei tal coisa para o Senhor”.  A verdade é de que Deus não é obrigado a nos dar nada ou nos dar algo em NOSSO tempo, pois Sua vontade “É boa, perfeita e agradável.” (Romanos 12:2);é e sempre será a que de fato prevalecerá (Salmos 48:14). Não importa o quanto teimamos ou insistimos naquilo, se não for da vontade dEle ou no tempo dEle não acontecerá (Eclesiastes 3:1)

Algumas pessoas, por falta de conhecimento, entendimento, intimidade e fé para com o Senhor e sua palavra, acabam tomando algumas atitudes e decisões precipitadas, as quais podem trazer consequências, sejam elas a curto ou a longo prazo (Provérbios 29:20; Atos 1:18). O pior é que muitas vezes quem pode acabar sofrendo as consequências são aquelas pessoas a quem você ama e que estão perto de você. Veja o Exemplo de Abraão em Gênesis 16:1-4. Por falta de intimidade, conhecimento e principalmente por falta da fé, Sarai, mulher de Abraão, quis apressar a promessa que Deus havia lhes feito há 10 anos, e logo no versículo 5 podemos perceber uma consequência da decisão precipitada em que ela e Abraão tomaram, que foi o desprezo de Sarai para com Agar, sua criada, a quem estava sempre por perto de sua senhora Sarai. Mais pra frente em Gênesis 21: 8-21, quando a promessa de Deus, filho da promessa,  se cumpre na vida Abraão e sua esposa, podemos perceber uma outra consequência, a de que Ismael , filho de Abraão com sua criada Agar, teve que deixar o acampamento de seu pai, pois Sara não queria que seu filho Isaque (filho da promessa) dividisse a herança com o seu meio irmão Ismael. Abraão também amava Ismael e se preocupava com ele. Podemos imaginar como Abraão ficou angustiado e com o coração na mão de ter que mandar seu filho embora, mesmo Deus concordando com sua esposa, Sara, e prometendo que iria cuidar de Ismael. Portanto, tudo isso aconteceu porque Abraão e Sara quiseram apressar a promessa de Deus, quiseram vivenciá-la em seu tempo e não no tempo de Deus. Eles não tiveram a paciência de esperar no Senhor. E por fim, Agar e Ismael enfrentaram as consequências, tendo de deixar o acampamento para viverem sós no deserto.


Por isso muitos de nós às vezes no impulso e ansiedade em  viver as promessas de Deus, acabamos tomando essa mesma atitude de Abraão e Sara, mas esquecemos que elas trarão consequências não apenas para nós, mas também para aqueles que amamos e que vivem juntamente conosco. Bem melhor do que nos precipitarmos é descansar, confiar e esperar no Senhor. (Salmos 147:11; Salmos 71;14; Lamentações 3:25; Salmos 40:1 e Salmos 38:15)


Ore junto comigo:

“Oh Deus, meu Pai, sei que o Senhor é fiel e cumprirá tudo aquilo que tens me prometido, porém tenho eu vivenciado a angústia e a ansiedade de esperar no Senhor o tempo certo da promessa. Por isso humildemente te peço para aquietar meu coração para que eu não venha me precipitar, gerando em mim e naqueles que amo, as consequências de uma decisão precipitada. Obrigado, Jesus. Amém!”



Entre em contato