Vida Cristã

31/05/2013 | Artigos, Namoro e afins, Vida Cristã

Nenhum Comentário

Posso namorar um não cristão?

Dizem por aí que nós não mandamos no nosso coração. Que quando nos apaixonamos não escolhemos uma pessoa. Simplesmente acontece. Embora o fato não seja totalmente errado, podemos sim dar uma educada em nossos sentimentos.

Uma das maiores dúvidas de cristãos por todo o mundo é se, podemos ou não, namorar uma pessoa não cristã. Respondendo de forma simples e prática, veja o que a Bíblia diz em 1 Coríntios 6:12.

Alguém vai dizer: “Eu posso fazer tudo o que quero.” Pode, sim, mas nem tudo é bom para você.

A grande maioria das coisas, você jovem pode fazer sim. Agora, nós fortemente recomendamos que você não namore uma pessoa não cristã. Por quê? Por causa do jugo desigual (essa questão será melhor explicada abaixo). Quando você, cristão, escolher uma pessoa para namorar (e futuramente casar) deve procurar alguém que o incite a procurar cada vez mais Deus.  Qualquer relacionamento amoroso com um não cristão pode facilmente corrompê-lo e tirá-lo do caminho do SENHOR. Pense bem, em um gelado sábado a noite, você vai querer ir à igreja no culto de jovens e seu parceiro (a) vai querer assistir um filme juntinho no edredom. No começo você pode até bater o pé e decidir ir à igreja sem ele (a), mas eventualmente, por pressão no relacionamento, você irá ceder.

“Não se enganem: “As más companhias estragam os bons costumes.” 1 Coríntios 15: 33

Coloque na sua cabeça irmão (ã), o cônjuge ideal é aquele que vai amar Deus bem mais do que você. Quando for procurar por um parceiro, evite procurar no mundo. Atualmente, somos levados a pensar que iremos encontrar o parceiro ideal em uma mesa de bar, em uma festa, entre uma cerveja e outra em uma reunião da faculdade. Não, cristão encontra sua cara metade na igreja com os joelhos dobrados e calejados de tanto orar. Evite se corromper irmão, procure em um relacionamento amoroso alguém que balançará positivamente sua relação com Jesus. Assim você não terá ganhado somente um cônjuge, mas também um parceiro de guerra.


  • Efraim Gomes Pessoa

    Excelente!! o erro nº 1 é um dos mais cometidos e que devemos a todo momento evitar.

    Independente do número de pessoas, temos que dar o nosso melhor e mostrar que eles são importanes.

    • Guia Jovem Cristão

      Isso é verdade Efraim. Temos que trabalhar lembrando que é para Deus

  • Ney Eduardo Simoes

    Parabéns ao jovem Paulo Vitor – Igreja de Nova Vida do Centro – artigo esclarecedor e bem objetivo, foi ao ponto certo sem ser prolixo. Que Deus continue lhe dando sabedoria e que você continue buscando conhecimento. PARABÉNS!!!


Entre em contato